A educação à distância como alternativa no processo de aprendizagem

A educação à distância como alternativa no processo de aprendizagem Foto: Divulgação
Publicado em Trabalhos Acadêmicos
Lido 288 vezes

Os pesquisadores Luiza Carvalho de Oliveira e João Batista Bottentuit Junior, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), descrevem nesse trabalho o papel da midiatização do conhecimento e da educação à distância, além da importância das mídias e da comunicação dialógica nessa modalidade como potencializadoras do desenvolvimento da reflexividade no indivíduo.

O trabalho acadêmico foi publicado no periódico trimestral do Instituto Federal de Educação, Tecnologia e Sociedade (IFG) de Goiás, na edição número 2 de 2016. No texto, os autores ressaltam que a educação à distância surge no contexto da sociedade da informação como uma alternativa educacional democrática, que tem o objetivo de possibilitar o acesso ao conhecimento às pessoas que, de outra forma, não o teriam.

De acordo com Luiza de Oliveira e João Bottentuit, muitas pessoas, por questões sociais ou econômicas, não conseguem ter acesso a uma instituição de ensino. “E, porque não dizer, democratizadora, uma vez que, por meio da mediação tecnológica, a educação à distância conduz o aluno à autonomia. A relação professor-aluno não se extingue, apenas se modifica, exigindo do professor e do aluno uma nova postura diante do conhecimento e de suas formas de aquisição”, explicam.

Além disso, os autores ressaltam que o desenvolvimento das mídias transformou o sentido de pertencimento dos indivíduos, como também o processo de aquisição do conhecimento, pois a compreensão do mundo parece ser construída cada vez mais por conteúdos midiatizados. “É preciso, portanto, repensar a educação, diversificando os recursos utilizados, oferecendo novas alternativas para os indivíduos interagirem e se expressarem. Repensar a educação envolve diversificar as formas de agir e de aprender, considerando a cultura e os meios de expressão que a permeiam”, observam Luiza de Oliveira e João Bottentuit.

Ainda segundo os pesquisadores, o uso de tecnologias de comunicação e informação (TIC) na modalidade de ensino à distância é essencial para possibilitar não só a aproximação entre aluno e professor, mas especificamente para garantir o exercício autônomo da aprendizagem.

Clique aqui para conferir na íntegra o artigo.

Última modificação em Quinta, 06 Abril 2017 22:03
Graciete Brito

Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, e pós-graduada em Assessoria de Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC. Foi estagiária em veículos como Revista Foco, Jornal da Comunidade, TV NBR e jornalista com atuação em assessoria de imprensa de entidade sindical e agência de marketing.

 

Estamos no Facebook