Lobby não é corrupção

Lobby não é corrupção Foto: Divulgação - Facebook Cristiane Brasil
Publicado em Artigos
Lido 208 vezes

A presidente do Conselho Curador da Fundação Ivete Vargas, deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), em artigo publicado no jornal O Globo, em 22 de junho, tratou da diferença entre lobby e corrupção. A parlamentar foi relatora na Comissão de Constituição e Justiça do projeto que prevê a regulamentação do lobby, que pode ser votado pelo Plenário da Câmara dos Deputados na primeira semana de julho.

Ao argumentar sobre a regulamentação do lobby, Cristiane Brasil ressaltou que a democracia é composta por distintos interesses e por seu diálogo transparente. “Lobby é diferente de corrupção. Numa democracia moderna, a defesa de interesses legítimos de empresas, entidades e organizações junto aos agentes públicos é fundamental para a vitalidade do processo democrático e na tomada de decisões estratégicas pelo Poder Executivo ou Congresso Nacional”, esclareceu.

Em outro trecho da publicação, a parlamentar esclarece que o lobby ganhou uma conotação pejorativa após frequentes denúncias de lobistas que praticaram atos ilícitos. “Se transformou em sinônimo de tramoias, fraudes contra o patrimônio público e acordos nos quais apenas os envolvidos se beneficiam em prejuízo da sociedade. Isso é corrupção. Os brasileiros que acompanham o noticiário e ficam estupefatos com a prisão quase diária de “lobistas” precisam entender que essas pessoas são corruptas no sentido mais preciso da palavra”, analisa Cristiane Brasil.

A deputada afirma ainda que tudo precisa acontecer de forma transparente para todos os lados, sem movimentos nas sombras ou em conversas sem testemunhas. “É nesse contexto que defendo a regulamentação da atividade de lobby no Brasil, como já acontece nas maiores economias do planeta”, ressalta Cristiane Brasil, que destacou também a necessidade de “regulamentar a representação de interesses, garantindo transparência às escolhas públicas e assegurando que agentes privados não prevaleçam sobre os interesses da sociedade, mas possam contribuir com informações para a tomada de decisão”.

Clique aqui para ler o artigo na íntegra.

Última modificação em Segunda, 26 Junho 2017 19:44
Graciete Brito

Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, e pós-graduada em Assessoria de Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC. Foi estagiária em veículos como Revista Foco, Jornal da Comunidade, TV NBR e jornalista com atuação em assessoria de imprensa de entidade sindical e agência de marketing.

 

Estamos no Facebook