A solidariedade social como instrumento para superação da crise

Publicado em Trabalhos Acadêmicos
Lido 121 vezes

Em trabalho acadêmico publicado na revista Justiça do Direito, periódico da Universidade de Passo Fundo (UPF), os estudiosos Amanda de Moraes Weidlich e Paulo Henrique Schneider tratam sobre a solidariedade social como instrumento para superação da crise e da democracia representativa. Os autores sugerem o resgate da solidariedade social como meio de fortalecer e ressignificar a democracia representativa, mediante o estabelecimento de um novo paradigma ético democrático.

Ao tratar da democracia representativa, do seu surgimento à crise atual, os especialistas ressaltam que a democracia é a forma de governo na qual o poder é exercido por todos os cidadãos juridicamente assim considerados, se contrapondo à monarquia e à aristocracia, regimes nos quais o governo é atribuído, respectivamente, a um só e a poucos.

Os autores versam ainda sobre a evolução do conceito de solidariedade e o resgate da solidariedade social como instrumento para superação da crise da democracia representativa. Ao fim, os autores concluem que a democracia representativa tradicional passa por um momento de crise, exigindo a busca de alternativas viáveis a sua reabilitação, com o objetivo de evitar o crescente descrédito as suas instituições e permitir o implemento das promessas democráticas.

Amanda de Moraes Weidlich é especialista em Direito Civil, mestra em Direito pela Faculdade Meridional (IMED) e procuradora do estado do Rio Grande do Sul. Paulo Henrique Schneider é mestre em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc), especialista em Direito Processual Civil pela Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) e em Direito do Trabalho e Previdência Social pela Universidade de Passo Fundo (UPF). É também professor de Direito do Trabalho na UPF e advogado. O trabalho foi publicado na edição de maio-agosto de 2016.

Clique aqui para conferir o trabalho acadêmico na íntegra.

Última modificação em Terça, 29 Agosto 2017 19:49
Graciete Brito

Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, e pós-graduada em Assessoria de Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Tecnológicas - FACITEC. Foi estagiária em veículos como Revista Foco, Jornal da Comunidade, TV NBR e jornalista com atuação em assessoria de imprensa de entidade sindical e agência de marketing.

 

Estamos no Facebook