Carlos Thadeo: Exploração, Colonização e Ruptura

Publicado em Depoimentos
Lido 354 vezes

Carlos Alberto de Carvalho Thadeo é assessor especial na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e Primeiro-Secretário de Comunicação do PTB nacional. Nascido em São Paulo, seus anos como professor de Sociologia refletem-se claramente na maneira didática como aborda, nesse depoimento gravado no fim de 2015 na sede da Fundação Ivete Vargas, em Brasília, o que representou o surgimento do PTB, em 1945, em termos de ruptura da lógica de colonização e de exploração presente durante séculos na história econômica do Brasil. É precisamente esse legado de transformações sociais que desencadeia uma série de mudanças na realidade do país.

O PTB surgiu da necessidade de fundação de um partido que fizesse a conciliação de duas forças que se antagonizavam: o capital - oriundo do poder dos Barões do Café e da política Café com Leite - e o trabalho – até então sobre orientação de um anarco-sindicalismo com vernizes bolcheviques. Sem diálogo, essas duas forças não conseguiam produzir a força necessária para o desenvolvimento do Brasil. É a partir da interlocução promovida pelo PTB que o capital obtém o que precisa do trabalho e que o trabalho obtém o que precisa do capital, possibilitando as transformações e os avanços do período. “É como um relógio: têm duas grandes engrenagens separadas, mas não anda sem uma pequenininha que as una. É essa terceira engrenagem que faz o relógio andar e não atrasar. O PTB veio para acertar a hora e fazer andar a economia do país.”.

Última modificação em Quinta, 15 Setembro 2016 17:03
Patrícia Cagni

Nascida em Brasília, formou-se em jornalismo pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB). Fez estágios nos jornais "Correio Braziliense" e "O Globo". Atualmente faz a cobertura do Congresso Nacional como repórter de Política do portal Congresso em Foco.

Estamos no Facebook